PSICOLOGIA

O plano de trabalho do Serviço de Psicologia e Orientação preconiza uma intervenção junto dos diferentes atores da comunidade educativa – alunos, educadores/professores, pais e encarregados de educação.

 

Psicóloga Maria Isabel Salvado

Psicóloga Susana

Psicóloga Teresa Domingos

As marcações poderão ser efectuadas pelo aluno, através da sua agenda, ou pelo encarregado de educação tanto  por telefone: 225430150 como por email: psicologia@cnslourdes.com.

Modelo RTI

Abordagem multinível

 

O modelo é utilizado no Colégio no âmbito da Aprendizagem da Leitura e da Escrita, quer na promoção de competências facilitadoras, no pré-escolar (5 anos), quer no desenvolvimento do processo de aprendizagem da leitura e da escrita ao longo do 1º ciclo. Envolve um rastreio universal de competências cujos resultados orientarão o trabalho pedagógico a realizar com as crianças/os alunos.

 

Brincando com os sons

 

 

Projeto de intervenção nas competências preditoras da leitura e da escrita que visa promover também o envolvimento das famílias do pré-escolar.

A investigação tem demonstrado que há um conjunto de competências que são preditores da aprendizagem da leitura e da escrita (consciência fonológica, nomeação rápida, fluência verbal, conhecimentos acerca do impresso).

 

Transições

Projeto de facilitação das mudanças escolares

 

As transições de ciclo (pré-1º ano, 4º-5º ano, 9º-secundário) implicam mudanças na vida escolar dos alunos, com os necessários reajustamentos nas rotinas e nos hábitos e métodos de trabalho. Assim, este projeto visa facilitar as diferentes transições ao longo do percurso escolar dos alunos.

 

Vamos para o 1º Ciclo e agora?

Projeto de formação parental

 

Ao longo do desenvolvimento, são inúmeros os desafios que os pais enfrentam como educadores. Assim, é particularmente relevante proporcionar aos pais oportunidades de partilha, debate e reflexão que lhes permitam lidar com os desafios que vão enfrentando enquanto educadores. Um desses desafios é a transição para o 1º ano de escolaridade, pelo que a sessão com pais complementa o trabalho realizado com as crianças.

 

 

Fábrica de Ideias

Projeto de promoção de competências de autorregulação da aprendizagem

A aquisição de estratégias de autonomia e de autorregulação da aprendizagem é um ingrediente chave para uma aprendizagem bem-sucedida (Rosário, 2007). Este projeto de intervenção em grupo, junto dos alunos do 4º ano de escolaridade, visa a promoção de estratégias de aprendizagem que facilitem o aprender a aprender.

 

Toca a Ler/Escritas

Projeto de intervenção nas dificuldades específicas de leitura e escrita

 

As dificuldades específicas de leitura e escrita (Dislexia) têm implicações abrangentes em todo o currículo académico e no percurso escolar dos alunos. Estes projetos, de intervenção em grupo, destinam-se a alunos do 1º e do 2º ciclo, com dificuldades específicas de leitura e escrita. Visam uma intervenção especializada, regular, metódica e gradual, que inicie o mais precocemente possível. Estes projetos são orientados pelos Serviços Especializados de Apoio Educativo. 

 

Move-te

Projeto de autorregulação da aprendizagem e promoção de competências de estudo

 

 

O 5º ano é um ano de mudanças e de transição para novos desafios, a diferentes níveis. Surge a necessidade de adequar o estudo a um maior número de disciplinas e a uma maior exigência curricular, bem como a necessidade de promover, progressivamente, maior autonomia nos alunos.

 

Tenho que Decidir!

Projeto de Orientação Vocacional

No 9º ano os alunos necessitam de tomar decisões importantes para o seu percurso escolar e profissional (escolha de um curso, escolha de disciplinas, escolha de uma escola). Neste processo o aluno deverá assumir um papel ativo na exploração dos seus interesses, dos seus valores e das suas capacidades de forma a construir o seu projeto vocacional. Mais do que tomar a decisão acertada, que no mundo de hoje é imprevisível, trata-se de criar condições para explorar e construir percursos escolares e profissionais.

 

Procura-se

 

A promoção da saúde mental nas escolas passa, entre outras coisas, pelo estabelecimento de relações interpessoais positivas, num ambiente escolar que se pretende seguro e acolhedor. Neste sentido, a promoção das competências socio emocionais constitui um importante eixo de intervenção com toda a comunidade educativa.