ORAÇÃO DA MANHÃ

Dizem que havia um cego sentado na calçada, com um boné a seus pés e um pedaço de madeira que, escrito com giz branco, dizia: - "Por favor, ajude-me, sou cego". Um homem de marketing que passava em frente parou diante do cego e viu muito poucas moedas no boné. Sem pedir licença, pegou no cartaz, virou-o, pegou no giz e escreveu outra mensagem. Voltou a colocar o pedaço de madeira aos pés do cego e foi-se embora. Ao fim da tarde o homem voltou a passar em frente do cego que pedia esmola. Agora, o boné do cego estava cheio de notas e moedas. O cego reconheceu os passos e perguntou-lhe se havia sido ele quem reescrevera o seu cartaz, sobretudo querendo saber o que tinha escrito. O homem respondeu: - "Nada que não esteja de acordo com o seu anúncio, mas com outras palavras". Sorriu e continuou seu caminho...mas seu novo cartaz dizia: "Hoje é Primavera, e não posso vê -la".

Que hoje tenha mais cuidado na forma como digo as coisas. Mesmo nas coisas que preciso dizer! Que haja vontade de construir, de procurar soluções, de desafiar...de poder abrir para o horizonte mais amplo da mudança que é necessário fazer mais do que para o caminho que ainda não foi feito.

Em cada perda, Senhor, ajuda-me a partir para a um novo encontro.

Cada silêncio seja lugar para reinventar a palavra.

Cada pausa dê uma qualidade espiritual ao gesto.

Cada sorriso me prepare para uma alegria mais pura.

Cada luto seja a oportunidade para um nascimento profundo.

Cada dúvida me fortaleça na busca inacabada da verdade.

Cada revés seja aprendizagem daquela humildade necessária a um viver na confiança.

Cada flor que colocaste no meu caminho me ajude a olhar sem derrotismos para o deserto

.

Há dias, ouvi da boca de um amigo, uma das melhores definições de amor que já encontrei: Amar é preferir o outro! Falamos longamente sobre o tema. O outro acima do meu comodismo ou opinião. O outro sempre no horizonte da minha atitude de atenção e preocupação. O outro muito para além das minha queixas ou lamentos. O outro muito para além da beleza ou dos defeitos. O outro por amor e apenas isso. 

.

Pensa nesta parábola.

Certa vez caminhava um senhor no deserto quando, de repente, ouve uma voz que lhe diz:  Pega num punhado de pequenas pedras e coloca-as no bolso. Amanhã vais sentir-te, por um lado, feliz, mas por outro lado, triste.

O senhor obedeceu à voz mesmo sem perceber. Inclinou-se e apanhou um punhado de pequenas pedras que meteu no bolso. Na manhã seguinte reparou que as pequenas pedras se tinham transformado em diamantes, rubis  e esmeraldas.  E, de repente, sentiu-se feliz e triste.

Por um lado, feliz por ter apanhado as pedrinhas ! Por outro lado, triste por não ter apanhado ainda mais.

Pensa, nem sempre as pedras do caminho são necessariamente um peso ou um incómodo.

Fim de mais um ano letivo. Mas este não foi igual a nenhum outro. Olho para trás e quero agradecer cada momento que tive oportunidade de viver. Agradecer pelo presente da vida e do trabalho. Agradecer por aquele gesto de amor que um colega ou professor teve comigo. Agradecer o tudo e o nada de todos os dias. Também te peço perdão por não ter sido tão atento aos que mais precisavam do meu gesto solidário, da minha atenção ou até da minha ajuda nos trabalhos a realizar. Que eu saiba sempre agradecer os dons e reconhecer os erros. Este ano letivo, apesar de diferente, “TODOS A BORDO” chegamos a bom porto e concluímos este ano letivo com alegria e com a esperança que tudo vai ficar bem! Com a certeza que nos reencontraremos todos no próximo ano letivo.  

Pe. Usera

R: Rogai por nós.